ARCJ NO 2º ENCONTRO DE REIKI EM TAVIRA

 

A ARCJ- Agrupamento do Algarve teve uma participação muito ativa no 2º encontro de Reiki que aconteceu no dia 2 de Setembro no Parque de Feiras e Exposições em Tavira. Enquanto decorriam as palestras que enquadravam este evento, num espaço contíguo tinham sido preparadas muitas atividades para trabalhar os 5 princípios inerentes à Filosofia de Vida do Reiki, bem como, preparava-se a Meditação das Grutas com o Super Reikinho, jogos para enquadrar as grutinhas mais escuras, para que cada um percebesse qual a sua gruta precisava ser mais trabalhada, fez-se pinturas de mandalas, desenhos livres, dando liberdade à criatividade, elaboraram-se pulseiras com materiais das cores dos chacras, e para além disto, promoveu-se a explicação do que é o reiki, dando a possibilidade de experimentar para quem quisesse.

Estas abordagens foram preparadas de forma simples, tal como o são as crianças e jovens, tendo nós beneficiado da presença, ao longo do dia, de cerca de 30.

Em ambiente descontraído, todo o nosso programa foi totalmente flexível, e iniciámos a manhã com cerca de 7 crianças, falando do Reiki como sendo Amor, tal como o João Mendes, de 5 anos focou tão repentinamente. Falando em relacionamentos, porque o Amor em primeiro deve ser para connosco, fomos perceber, qual a pessoa mais importante da vida de cada uma das crianças ali presentes. Essa pergunta que tem uma resposta sempre certeira: “A Mãe”… O “segredo” foi-lhes revelado, após todos falarem, que a pessoa mais importante da vida deles são eles… Várias temáticas foram faladas e explicadas, no sentido de eles perceberem o quão importante são, e que tudo estará ao alcance de quem confiar e colocar em prática. São sempre conversas muito motivadoras para ambas as partes.

Após este enquadramento generalizado que retrata as vivências habituais, fomos apresentar-lhes o Super Reikinho, sendo este, bastante elucidativo para um bebé (Santiago) de cerca de 2 anos que ali se encontrava. Ficaram fãs do Super Reinho que os ajudou de seguida a fazerem a viagem pelas grutinhas, através desta meditação, afim de perceberem qual das grutinhas sentiram mais suja ou sem brilho. No final cada um referiu essa grutinha, tendo ido levantar uma pedrinha, de uns frasquinhos que ali existiam, da cor igual ao desse chacra a trabalhar. Com a pedrinha na mão e em posição gassho, fechámos os olhos, e através da expiração fomos deitando fora o que não desejávamos ter em nós, terminando recitando em conjunto os 5 princípios. Deste autoconhecimento, eles conseguiram detetar algo que não estava bem neles, sendo-lhes pedido que escrevessem isso num papel, para que colocassem num “amigo” chamado “Papa-Medos”.

O intervalo veio a seguir, onde tinham atividades de desenho livre, pintura de mandalas e elaboração de pulseiras com as cores dos chacras, abrindo as possibilidades a quem quisesse experimentar esta terapia. Foi o q aconteceu com as 2 crianças mais reservadas deste grupo. Ambas fizeram reiki, e quer uma quer a outra, tiveram uma explosão após, pois começaram a falar, a rir e a exprimir-se de forma súbita, tendo uma delas solicitado à tarde mais e mais reiki…

Esta é a magia…

Esta é a missão…

Veio à tarde um grupo de 18 jovens, incluindo um bebé, foi partilhado o mesmo tipo de atividades, que se revelaram de abertura total à filosofia de vida e à terapia, tendo alguns solicitado a experiência, dizendo que adoraram, referindo, algumas vezes, após:

– Quero mais! Quero mais! Podes fazer-me outra vez?

Foram tantas as solicitações que não conseguimos fazer a todos os interessados, pelo que a ARCJ- Agrupamento do Algarve, irá disponibilizar-se para ir ao encontro deles, para que nesses corações não fique a imagem, errada, de que nunca chega a eles, dados as experiências complicadas pelas quais passaram já na vida.

Enquanto fazia-mos Reiki a uns, outros voluntários, procediam à Roda do dar e Receber com Amor, onde todos deixaram uma mensagem para eles, para o colega do lado, mas essencialmente, para o Mundo, anotando de seguida essa mensagem que colocámos numa tela afim de guardar com muita estima.

Cabe-me a mim, Ana Patrícia Mendes e a esta equipa, Carlos Pinto, Carla Lopes e Mercedes Costa agradecer a estes jovens que vieram ao nosso encontro e que sentiram o benefício de perceberem melhor o que somos e o que podemos Ser, equilibrando-nos, a nós e aos outros.

Este slideshow necessita de JavaScript.